MÍDIA CENTER

Promoção da Igualdade organiza sessão sobre o Novembro Negro

Publicado em: 10/09/2019 22:44
Setor responsável: Notícia

NeuzaMenezes/AgênciaALBA
A Comissão Especial da Promoção da Igualdade, reunida nesta terça-feira (10), sob a presidência da deputada Fátima Nunes (PT), discutiu o calendário de audiências públicas já aprovadas para os próximos meses, com ênfase no Novembro Negro - 40 anos da Marcha da Consciência Negra Zumbi/Dandara, sessão sugerida pelos movimentos sociais que deve ser programada para 19 de novembro, o Dia da Consciência Negra. 

No início da sessão, o deputado Hilton Coelho (Psol) denunciou a situação do quilombo Kingoma, em Lauro de Freitas, “que luta pela demarcação da terra, alvo de muitas ações de grilagem”. O parlamentar lamentou as ações de pistoleiros que, portando armas de fogo, invadiram recentemente o quilombo, “provocando até problemas cardíacos em uma liderança local”. Foi agendada uma visita e aprovada a realização de uma audiência pública para debater a questão da posse da terra.

O legislador também mostrou preocupação com o desemprego na capital baiana e criticou a administração municipal que - segundo Coelho -  “vem proibindo o acesso de baleiros e vendedores no transporte coletivo, impedindo que eles possam levar para casa o sustento das suas famílias”. 

A deputada Olívia Santana (PC do B) associou-se à iniciativa, observando que, “diante desta onda brutal de desemprego, a prefeitura deveria ter mais sensibilidade”. A comunista também comentou sobre o quilombo Kingoma, considerando que “a especulação imobiliária é pesada em Lauro de Freitas, com o poder econômico, muitas vezes, se sobrepondo ao poder político”.

Jacó Lula da Silva (PT), que também participou do encontro, entende que a área do quilombo deve ser “bem valiosa e que o povo vai ser “triturado” se não tiver o apoio da sociedade e dos parlamentares”. O petista concordou com os colegas sobre “a perseguição aos baleiros, que neste trabalho informal encontraram seu meio de sobrevivência”. Por unanimidade, o colegiado decidiu aprovar uma moção de solidariedade aos trabalhadores.

No final, Fátima Nunes leu a relação das audiências públicas e visitas já aprovadas: Uma delas deverá ser à Organização do Auxílio Fraterno (OAF), situada no bairro da Lapinha. Temas como Estatuto do Idoso, Genocídio da Juventude Negra, Redução da Maioridade Penal, Cotas Raciais e Consórcio da Mobilidade Urbana na Linha Azul estão na pauta de debates do colegiado até o mês de dezembro.


Compartilhar: