MÍDIA CENTER

Deputado defende suspensão dos cortes dos serviços básicos

Publicado em: 26/03/2020 20:53
Setor responsável: Notícia

Os deputados estaduais estão preocupado com as consequências sociais provocadas pela pandemia do Covid-19. Eles sabem que a virtual paralisação da economia baiana, do comércio em especial, causará dificuldades a inúmeros pais e mães de famílias baianos. O momento, entendem os parlamentares, é especialmente crítico para as pessoas de baixa renda que atuam no trabalho informal e que não possuem reservas para atravessar a emergência. 

 

Apreensivo com esse quadro, o deputado Júnior Muniz (PP) apresentou uma indicação, na Assembleia Legislativa, solicitando ao governador Rui Costa a suspensão do corte dos serviços essenciais de energia elétrica, telefonia, gás canalizado, água e esgotamento sanitário realizados por concessionárias de serviços públicos, em todo o Estado, assegurando aos cidadãos a estabilidade econômica e social, tendo em vista a condição de vida atual – quarentena de duas semanas, que pode ser prorrogada –, adotada em todo mundo como medida para reduzir a escalada da propagação do coronavírus. 

 

CONSEQUÊNCIAS 

 

Para o parlamentar, as medidas radicais de combate à pandemia, que inclui o isolamento social, impactam diretamente na vida financeira e social dos baianos – de forma especial dos mais pobres, daqueles que dependem do comércio informal, dos diaristas, e daqueles que terão os empregos e o sustento ameaçado pelo isolamento social que é o único mecanismo eficiente de proteção individual e das famílias. 

 

 “Ainda não sabemos ao certo as consequências econômicas e financeiras decorrentes da suspensão obrigatória do funcionamento de milhares de empresas em todos os ramos de atividade, exceto aqueles essenciais, que afeta a economia nacional, e virtualmente, todo o setor de serviços, que é o que mais emprega”, observou. Para ele é correta a decisão das autoridades governamentais como medida de enfrentamento da situação de emergência em saúde pública, observando o decreto de calamidade pública que a ALBA votou de forma unânime.  

 

O deputado Júnior Muniz acrescentou que a sua sugestão ao chefe do Executivo se insere como um mecanismo de apoio e equilíbrio aos baianos “nesse grave momento da vida nacional, que exige de todos prevenção, união, responsabilidade e, principalmente, amor ao próximo”. 



Compartilhar: