Quinta-feira , 02 de Julho de 2020

MÍDIA CENTER

Unale e MEC discutem adiamento do Enem

Publicado em: 20/05/2020 19:23
Setor responsável: Notícia

Proposta de adiamento do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e plano de retorno às aulas foram alguns dos temas debatidos em audiência remota, ocorrida na manhã da última terça-feira (19), entre a União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale) e o ministro da Educação, Abraham Weintraub.


A presidente da Unale, deputada Ivana Bastos (PSD-BA), apresentou a demanda que a entidade tem recebido quanto ao adiamento da data para a realização dos exames do Enem, tendo em vista a suspensão das aulas devido à pandemia. “Esta é uma solicitação que temos recebido com grande preocupação e queremos entender do Ministério a diretriz quanto a esta pauta, visto que a manutenção da data pode afetar, principalmente, os alunos de baixa renda e que têm menos acesso à internet”, relatou Ivana.


De acordo com a secretária da Unale na Bahia, deputada Fabiola Mansur (PSB), também presente no encontro, em alguns estados os estudantes tiveram apenas 15 dias de aulas em 2020. “Entendemos o esforço e a preocupação em contribuir com o acesso dos estudantes às universidades, mas incorporarmos o pedido do adiamento para garantirmos que os estudantes tenham tempo de repor os conteúdos aos quais muitos não tiveram acesso, devido às desigualdades educacionais e à falta de acesso a recursos e ferramentas digitais”.


O ministro afirmou que o ministério tem tomado medidas de acordo com os dados e pesquisas realizadas quanto à realidade de cada estado. Weintraub relatou que, até o momento, mais de 4 milhões de estudantes já estão inscritos no exame, sendo que as isenções de taxas foram concedidas a 3,4 milhões de inscritos. O ministro apresentou ainda diversos dados quanto ao acesso à internet pelos estudantes, baseado em pesquisas realizadas pelo Ministério da Educação e apresentou o posicionamento do MEC.


“Não sou contrário a discutir a não realização do Enem, mas neste momento é prematuro falarmos em adiamento, visto que ainda precisamos ter uma clareza maior sobre o que vai acontecer. Temos investido em recursos para atender às normas sanitárias nas escolas para garantir um retorno seguro às aulas, e avaliamos a realização de uma consulta pública com os estudantes inscritos, para então, tomarmos a decisão sobre adiamento ou manutenção das datas”, explicou.


A presidente da entidade concluiu o debate, afirmando que “a Unale quer ser parceira do MEC, estimulando as inscrições dos alunos e aguardando as diretrizes da Pasta, tanto quanto a realização das provas, observando a necessidade dos estudantes, como na propagação das normas e diretrizes para um retorno seguro às aulas”.


Também estavam presentes o deputado federal Ronaldo Santini (PTB-RS) e o secretário de Educação da Unale, deputado Daniel Zen (PT-AC). 




Compartilhar: