MÍDIA CENTER

Bancada do PT na ALBA lamenta morte de Valmir Sampaio

Publicado em: 20/02/2021 09:00
Setor responsável: Notícia

A morte de Valmir Almeida Sampaio, ex-prefeito de Amargosa, no Recôncavo baiano, motivou a apresentação de uma moção de pesar por parte da bancada do PT na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA). O ex-gestor, que tinha 58 anos de idade, estava internado em Salvador, no Hospital do Subúrbio, e faleceu na última quarta-feira (17), vítima de complicações da Covid-19.
O documento assinado pelos parlamentares (Osni Cardoso Lula da Silva, líder da Bancada, Zé Raimundo Lula, Jacó Lula da Silva, Neusa Lula Cadore, Maria del Carmen Lula, Bira Corôa Lula, Paulo Rangel Lula da Silva, Robinson Almeida Lula, Rosemberg Lula Pinto, Fátima Nunes Lula e Marcelino Galo Lula) destaca a contribuição de Valmir Sampaio como gestor público para Amargosa e toda a Bahia. Antes de ser eleito para o cargo de prefeito, o político tinha sido vereador por quatro mandatos (1989-2004). Chegou ao Executivo municipal em 2005, tendo sido reeleito para seu segundo mandato na eleição de 2008.
Valmir Sampaio exerceu, conforme lembrado pela bancada do PT, grande liderança na luta pela conquista da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e pela implantação do Centro de Formação de Professores da referida instituição. “Durante toda a sua vida, Valmir lutou pela liberdade, pela democracia, pela decência na gestão pública e pelo povo de Amargosa, sua grande paixão. Sua partida, após mais de 30 anos de vida pública, enche de vazio a política baiana”, lamentou o grupo de legisladores estaduais.
A moção de pesar ressalta também a preocupação que Valmir Sampaio tinha com a educação pública, “entendida por ele como a mais poderosa ferramenta para mudar as pessoas e o mundo e construir uma sociedade mais justa e digna”. O engajamento com a causa o levou a ser nomeado membro titular do Conselho Estadual de Educação do Estado da Bahia em 2020.
O ex-gestor petista é lembrado ainda por feitos como a redução significativa da mortalidade infantil, o aumento do número de atendimentos na área da saúde, a criação de centenas de empregos, reformas em postos de saúde, recuperação estrutural da rede municipal do ensino, valorização das carreiras dos servidores públicos, realização de conferências e promoção de políticas de assistência social, participação popular e direitos humanos.
“É uma grande perda que será sentida por todos os baianos, razão pela qual deve-se manifestar o mais sincero pesar”, atesta a moção protocolada na ALBA pela bancada petista.


Compartilhar: