Terça-feira , 27 de Julho de 2021

MÍDIA CENTER

Setor de TI promoveu intensa inclusão digital na Assembleia

Publicado em: 19/06/2021 10:04
Setor responsável: Notícia

Desde setembro do ano passado, todos os servidores efetivos e temporários e deputados passaram a usar novas ferramentas inauguradas durante a pandemia do coronavírus – que dispensam uso de papel, carimbos, impressoras, protocolos, assinaturas e despachos manuais, além de pilhas de documentos físicos. São exemplos desse salto tecnológico na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) o Certificado Digital, a assinatura digital, e os sistemas PaperLess e o ProcLegis.

Para alcançar o êxito da modernização do Legislativo baiano, a Diretoria da Tecnologia da Informação (DTI) empenhou-se em promover a inclusão digital de todos os envolvidos nessa ‘Transformação Digital’ – nome que intitulamos para esse espaço que, nas últimas semanas, trouxe matérias especiais sobre as inovações recentes que chegaram na Casa, graças à diligência das equipes da DTI e da Superintendência de Recursos Humanos (SRH).

As iniciativas promovidas pela SRH e DTI potencializam a eficiência, a publicidade e a economicidade da gestão pública, com a digitalização de toda tramitação de processos administrativos e legislativos, assinados eletronicamente. A equipe de TI foi fundamental para auxiliar o quadro de funcionários e setores a adentrarem nesse novo paradigma digital, cuja adaptação vem contribuindo para o bom funcionamento da ALBA durante a crise sanitária.

Além da ampla divulgação pelos canais disponíveis, foram disponibilizados manuais, vídeos e tutoriais na Internet, na seção de serviços do site www.al.ba.gov.br. Milena Matos, analista legislativo do setor de TI da ALBA, destaca o auxílio prestado pela equipe, que ofertou três opções de interação: “Foram assistidos presencialmente, restrito às dependências da Casa, os servidores que não podiam estar em ‘home office’; houve treinamento remoto, através do aplicativo Microsoft Teams; e também a possiblidade de operação assistida, com o suporte e acompanhamento de um técnico, podendo ser feito presencial ou virtualmente”.

No início, os treinamentos chegaram a demandar, pelo menos, equipes de dois departamentos: a de Suporte e Operação e a de Tecnologia da Informação, conta a analista. “Hoje as solicitações de treinamento diminuíram, indicando que as ferramentas já estão devidamente incorporadas à rotina dos funcionários e da Assembleia”, diz Milena.

ASSISTENTE VIRTUAL

Além do e-mail ajudapaperless@alba.gov.br, o agendamento para treinamento e suporte pode ser feito através de um novo aliado dos servidores, o Assistente Virtual da ALBA (AVA). Vanildo Guimarães, coordenador de desenvolvimento de sistema da Casa, define o AVA como um grande utilitário ao público interno da Assembleia, pois compila diversas funções na mesma plataforma, como acesso a sistemas, páginas de tutoriais, além de reunir informações e atualizações de serviços de diversos setores da Casa. Seu portal (http://ava.alba.ba.gov.br/ava/) é acessado com a senha e login que o servidor cadastrou na Casa para ter acesso aos computadores. Guimarães conta que o AVA nasceu justamente para solucionar um problema recorrente de funcionários que perdiam esta senha. “O AVA foi primeiro pensado para resolver essa demanda, e o funcionário não precisar mais ir, presencialmente, na TI para cadastrar nova senha”, revelou. O ambiente AVA tem uma gama de funções atreladas à base de dados da Casa, por isso está submetido a níveis de permissão, para que só pessoas designadas possam acessar determinadas informações. “Sua interação é gerida pelo sistema de controle de acessos. É o caso de ferramentas de gestão do orçamento e finanças da Casa ou verba indenizatória de um determinado mandato parlamentar, cujos dados estão com acesso restrito e confiado a quem pode manuseá-los”, explica o coordenador de sistema, acrescentando que, para agentes externos, como fornecedores da ALBA, há a possibilidade de senha de acesso para emitir o Certificado Digital e fazer uso do Assinador Digital.

Aos poucos, relata Vanildo Guimarães, o AVA foi suprindo uma deficiência de informações para consumo do público interno, como quais serviços são oferecidos pela Associação dos Servidores da Assembleia Legislativa (Assalba), horário de funcionamento dos Correios, da lanchonete, da agência bancária. Ele revela que o setor almeja, no futuro, que o AVA possa atender com inteligência artificial, como os assistentes virtuais de bancos.

CONSULTA LEGISLATIVA

O AVA facilita encontrar todos os documentos assinados digitalmente pelo usuário dentro do PaperLess, a partir de uma consulta orientado a processo. Foi o mesmo ganho que aconteceu com a consulta legislativa no portal da ALBA, nesse caso tanto para o público interno, quanto o público externo. A digitalização do processo, com o novo ProcLegis, permitiu ao usuário acompanhar toda a tramitação e rito do processo legislativo, em tempo real, com inclusão de pareceres, aprovação em comissões, modificações em texto com emendas.

“Antes, só aparecia o texto original da matéria. Agora há uma integração do ProcLegis com o portal, em tempo real, enriquecendo a quantidade de índices da pesquisa com anexos e seus conteúdos”, explica Guimarães. A nova versão do ProcLegis foi lançada em 20 de janeiro desse ano, o que está bem caracterizado na aba Atividade Legislativa do site da ALBA, onde o internauta verá dois banco de dados: Proposições até 19/01/2021 – que mantém o registro do Proclegis anterior, implementado em 2007; e Proposições após 19/01/2021, já sob a nova atualização do sistema.

O sistema de consulta permite pesquisar através de palavras-chaves, autor, número ou tipo da matéria (projeto de lei, indicação, moção, requerimento etc), além da filtragem por períodos e datas. “Uma das principais demandas internas foi solucionada, que é a busca por similaridade de propostas, evitando assim a duplicidade de proposições”, exemplificou Guimarães.



Compartilhar: