Quinta-feira , 30 de Junho de 2022

MÍDIA CENTER

Márika Gidali ganha Prêmio Jorge Amado

Publicado em: 11/08/2005 10:38
Editoria: Diário Oficial

Zélia, Ferraz, Souto, Márika e Gaudenzi na premiação da diretora do Ballet Stagium
Foto: null

A bailarina e diretora do Ballet Stagium, Márika Gidali, foi a ganhadora do Prêmio Nacional Jorge Amado de Literatura e Arte, edição 2005. O prêmio, no valor de R$ 100 mil, que foi instituído pela Secretaria da Cultura e Turismo do Estado em 2002 e é o maior valor destinado à área cultural no Brasil, foi entregue ontem pelo governador Paulo Souto, em solenidade realizada no foyer do Teatro Castro Alves. O presidente da Assembléia Legislativa, Clóvis Ferraz, representou o Legislativo baiano.

Paulo Souto afirmou que a premiação a cada ano se credencia mais pelo seu caráter universal e por trazer sempre para o julgamento pessoas que, com toda a imparcialidade, refletem o mérito de grandes personalidades. Já Ferraz ressaltou que o sucesso do prêmio, instituído pelo governo do Estado, é uma demonstração da vocação dos baianos para a arte em suas diversas manifestações. "É muito justa essa homenagem a Márika Gidali, pela qualidade de seu trabalho e pelo seu intenso envolvimento com projetos sociais", destacou.

"Eu estou com a auto-estima lá no céu, agradecendo a Deus este momento especial", comentou Márika, se dizendo "muito emocionada e contente acima de tudo, pela arte da dança ter esta visibilidade". Apesar de ter nascido na Hungria, ela se define como brasileira. "Trabalhei por esta terra e continuo trabalhando em prol da dança no Brasil", declarou.

A concorrida cerimônia contou com a presença de artistas, autoridades ligadas à área cultural e da escritora Zélia Gattai. O deputado Antonio Rodrigues (PFL), presidente da Comissão de Educação da AL, também esteve presente. Em 2002 o prêmio foi dedicado à literatura e teve como ganhador o escritor Ariano Suassuna. Em 2003 o teatro foi homenageado, com a premiação de Cleyde Yáconis, enquanto em 2004 foi a vez da música erudita, que teve como ganhador o compositor Edino Krieger.

Márika, 68 anos, nasceu em Budapeste, Hungria, e veio para o Brasil aos 10 anos, logo após a Segunda Guerra Mundial. Iniciou os estudos de dança em São Paulo, com o professor Serge Muschatovsky, na Escola Carmem Brandão. Participou do Balé do IV Centenário e integrou o Balé Experimental de São Paulo, até que em 1971 formou a sua própria companhia, o Ballet Stagium.

Em 1984, Márika presidiu a Comissão Estadual de Dança de São Paulo e, 10 anos depois, realizou seu grande sonho: a criação do Projeto Escola Stagium, levando mais de 80 mil crianças e adolescentes das escolas de bairros periféricos a assistir aos espetáculos da companhia. Em 1999, foi convidada para coordenar todas as atividades de dança nas unidades da Febem de São Paulo. Ainda hoje, ela é responsável por ampliar o alcance do balé em diversos projetos sociais.

Em 2006, o Prêmio Nacional Jorge Amado de Literatura e Arte será dedicado à Música Popular Brasileira.



Compartilhar: