Quinta-feira , 30 de Junho de 2022

MÍDIA CENTER

Audiência discute implantação de call center do BB no Comércio

Publicado em: 12/12/2005 20:21
Editoria: Diário Oficial

Everaldo Augusto, da CUT-Ba, fala durante audiência pública dirigida por Álvaro Gomes
Foto: null
A instalação de um call center do Banco do Brasil em Salvador, mais precisamente na região do Comércio, foi discutida ontem na Assembléia Legislativa em audiência pública promovida pela Comissão Especial de Relações do Trabalho, Emprego e Renda. A vinda do call center, conforme estimativas do Sindicato dos Bancários, iria criar três mil novos empregos diretos na Bahia. Para o presidente da comissão, deputado Álvaro Gomes (PC do B), a criação do serviço vai gerar benefícios para toda a população baiana.

A ausência do um representante do Banco do Brasil na audiência de ontem foi muito lamentada não só pelo deputado comunista, mas também por representantes dos bancários. Na avaliação do vice-presidente do Sindicato dos Bancários da Bahia, Emanoel Souza, seria muito importante que a superintendência regional do BB mandasse um representante para "que ele pudesse informar em que estágio se encontra o processo de instalação do call center".

Emanoel lembrou que a vinda do call center para região do Comércio já foi decidida. "Nós já obtivemos essa vitória política. Portanto, não estamos pedindo nenhum favor", disse ele. De acordo com cálculos do Sindicato dos Bancários, o empreendimento iria injetar cerca de R$60 milhões na economia baiana. "Diante da realidade de desemprego do país e sobretudo da Região Metropolitana de Salvador, que tem os piores índices do país, esse serviço iria aquecer muito a economia da cidade", argumentou o sindicalista.

Para chegar a esses valores, ele leva em conta a média salarial do bancário de R$1,5 mil. "O mais importante é que seriam três mil empregos gerados qualitativos", continuou Emanoel, mesmo reconhecendo que muitas dessas funções seriam terceirizadas.

Também presente ao evento, o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) na Bahia, Everaldo Augusto, avaliou ser importante que o governo do estado entrasse na briga para trazer o call center do Banco do Brasil, tomando medidas que facilitassem a implantação do serviço no Comércio. Ele também defendeu negociações com a prefeitura de Salvador nesse sentido. Augusto lembrou que, além dos benefícios para a economia da cidade, o call center vai contribuir para a revitalização da região do Comércio.

Alguns encaminhamentos foram tomados na audiência de ontem. Ficou acertada, por exemplo, a realização de manifestações em defesa da implantação do serviço, com a participação inclusive das pessoas que passaram no concurso do Banco do Brasil e que agora só esperam ser chamadas. Um desses atos deve acontecer já na Lavagem do Bonfim. Álvaro Gomes também deverá tentar uma audiência com o superintendente do Banco do Brasil para discutir o assunto. E o Sindicato dos Bancários deverá promover uma campanha, inclusive com a utilização de outdoors, defendendo a vinda do call center.



Compartilhar: