Quinta-feira , 30 de Junho de 2022

MÍDIA CENTER

Assembleia entrega Comenda 2 de Julho ao professor Luiz Roberto Santos Moraes

Publicado em: 19/05/2022 20:50
Editoria: Notícia

Luiz Roberto Santos Moraes é o mais novo Comendador Baiano
Foto: CarlosAmilton/AgênciaALBA
Uma enciclopédia para ex-alunos, um ícone para especialistas, um orgulho para os acadêmicos, um exemplo de vida para parentes e amigos. São muitos os adjetivos e conceitos, sempre de muita admiração, sobre o professor e cientista Luiz Roberto Santos Moraes, que recebeu nesta quinta-feira (19), em sessão especial no Plenário Orlando Spínola, a Comenda 2 de Julho, a mais alta honraria concedida pela Assembleia Legislativa. “Essa medalha tem, a partir de hoje, um dos nomes que mais vão honrá-la, pelas qualidades do seu homenageado, um ser humano que sempre teve uma atuação marcante na defesa do meio ambiente, na luta contra a privatização dos serviços públicos de água e esgoto”, afirmou o deputado Marcelino Galo Lula (PT), proponente da reunião.



No longo discurso que fez para uma plateia de autoridades, ambientalistas e militantes de organismos sociais, o petista destacou a trajetória do novo comendador, que nasceu em 30 de maio de 1951, em Salvador, sendo o primeiro dos sete filhos do casal Enádio e Tieta. Formado em Engenharia Civil pela Universidade Federal da Bahia, especializou-se em Engenharia Sanitária e em Engenharia de Segurança do Trabalho pela Universidade de São Paulo (1974). Galo relatou ainda que o professor Luiz Moraes, em sua carreira acadêmica, fez mestrado em Engenharia Sanitária na Holanda, doutorado em Saúde Ambiental na Inglaterra, além de estágio pós-doutoral em Portugal e na Espanha. O parlamentar informou ainda que o cientista baiano acabou de se aposentar efetivamente em março de 2022, como professor titular em Saneamento. 



O coordenador da Frente Parlamentar Ambientalista da ALBA informou ainda que o pesquisador foi um dos fundadores do Grupo Ambientalista da Bahia e lembrou que a militância do homenageado na área de saneamento data dos anos 70. “Foi ele quem denunciou os interesses que estavam em jogo na implantação da Barragem de Pedra do Cavalo, demonstrando que existiam soluções mais econômicas para o abastecimento de água da Região Metropolitana de Salvador”, pontuou. Outra grande luta do professor, prosseguiu o deputado, diz respeito ao Baía Azul, quando questionou a concepção tecnológica do programa, seus investimentos e prioridades. 



CLAREZA



Depois de uma apresentação musical do Madrigal da Ufba, alguns componentes da mesa fizeram breves pronunciamentos sobre o mestre. Marco Almeida Santana, arquiteto e urbanista da Universidade de São Paulo, considerou que a Assembleia Legislativa acertou na escolha, pois “Moraes é um homem com H maiúsculo, que permanece contribuindo para o desenvolvimento do Estado, com sua pesquisa científica em favor da água, da preservação da vida”.  O coordenador do Observatório Baiano do Saneamento, Pedro Romildo Pereira, confessou que “muitos dos que lotavam aquele espaço da Casa das Leis carregavam na alma, na sua essência, os ensinamentos adquiridos na convivência com o mestre”. Para a promotora de Justiça do Meio Ambiente, Luciana Khoury, “o dia era de festa, de felicidade para a Bahia, que estava distinguindo com uma medalha uma pessoa coerente, com uma grande capacidade técnica para orientar os seus alunos”. João Carlos Salles, reitor da Ufba, também enalteceu a dedicação e o trabalho incansável do engenheiro ambientalista. “Quando tudo está turvo, você traz clareza. Orgulho que a nossa universidade tem de se alimentar com a qualidade moral e a competência técnica do professor. Você torna nossa Ufba mais bela e mais iluminada”.




Foi pelas mãos da esposa e companheira, Patrícia Borja, que Luiz Roberto Santos Moraes recebeu a Comenda 2 de Julho, sendo aplaudido de pé. Ao iniciar sua fala, o homenageado pediu um minuto de silêncio em homenagem ao saudoso amigo Paulo Jackson, deputado que faleceu no dia 19 de maio de 2000. “O querido amigo e irmão, pelas lutas que desenvolveu, pela coerência política em defesa da água e do saneamento universal, esse ser humano íntegro e guerreiro elogiado por colegas de diferentes partidos aqui na ALBA, pelo seu legado relacionado ao cuidado com o meio ambiente, é que a Associação Movimento Paulo Jackson – Ética, Justiça e Cidadania se propõe a preservar e disseminar a constante busca pela conquista e implementação dos direitos humanos e sociais”, salientou. Em 2015, o professor Moraes contribuiu para a criação do Observatório de Saneamento Básico da Bahia, importante instância de defesa do saneamento público universal e de qualidade. Muito antes, no início da década de 80, o cientista sempre participou de muitas discussões no Parlamento baiano, conseguindo inserir na Constituição da Bahia de 1989, quatro artigos que estabelecem normas sobre a Defesa do Saneamento Básico.




Também participaram da sessão especial o deputado federal Joseildo Ramos, o deputado estadual Robinson Almeida, a vereadora Marta Rodrigues, todos do PT, e muitos dirigentes de entidades ligadas ao meio ambiente. Dentre eles, Renato Cunha, do Gambá; João Pereira Junior, da Confederação Nacional das Associações de Moradores; Gregório Rocha, coordenador geral do Sindae-BA e Luiz Portela, diretor do Instituto de Saúde Coletiva da Ufba. Após ser agraciado com inúmeros prêmios, condecorações e título em reconhecimento aos mais de 40 anos de trabalho em sua profissão, o cientista Luiz Roberto Santos Moraes só deseja uma convivência maior com a família. Ficar mais perto dos filhos Jorge, Juliana, Daniel e Gabriel, como também brincar mais com os netos Pedro, Beatriz, Maria, Bernardo e Maria Carolina. Tudo sempre ao lado da companheira Patrícia. Mas admitiu que ainda vai continuar lutando em prol da cidadania. Manifestou também a vontade de aprender a tocar saxofone. Com o riso dos amigos e amigas, explicou: para poder tocar o Hino ao 2 de Julho, com os versos “Nunca mais, nunca mais o despotismo, regerá, regerá nossa Nação…”.




Compartilhar: