Quinta-feira , 30 de Junho de 2022

MÍDIA CENTER

Adolfo Menezes convoca sessão extraordinária para quarta-feira

Publicado em: 23/05/2022 20:22
Editoria: Notícia

Presidente da Assembleia Legislativa
Foto: AscomALBA/AgênciaALBA
O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Adolfo Menezes (PSD) convocou uma sessão extraordinária para o dia 25 de maio de 2022 (quarta-feira), às 15h. No documento, o parlamentar elenca os cinco projetos de lei a ser apreciados pelo plenário: o PL 24.311/2022 PL 24.512/2022, PL 24.513/2022, de autoria do Poder Executivo, o PL 22.845/2018, de Zó (PT), e o PL 24.500/2022, de Euclides Fernandes (PT).




Entre as proposições dos parlamentares, a de Zó foi sobejamente discutida na sessão passada e, mesmo alvo de resistência de alguns deputados, está como certa de ser votada, tendo o líder da oposição, Sandro Régis (UB), se comprometido publicamente a assinar o requerimento de dispensa de formalidades regimentais para propiciar a apreciação. O líder do governo, deputado Rosemberg Pinto (PT), e grande parte do Parlamento já se declararam favoráveis à matéria, o que deve garantir a sua aprovação sem surpresas.



A iniciativa de Zó dispõe sobre penalidades administrativas a serem aplicadas pela prática de atos de discriminação em razão de orientação sexual e identidade de gênero, além de outras providências. O projeto de Euclides nomeia de José Rodrigues Guimarães a Rodovia Estadual BA-220, que liga os municípios de Andorinha e Senhor do Bonfim. O homenageado era conhecido como Zé Branco e pontificou na vida pública de Bonfim.



EXECUTIVO



As proposições do Executivo, por sua vez, devem encontrar dificuldades para passar. As conversações entre os líderes prosseguem, mas Sandro Régis continua com a intenção de pedir vistas de cada uma. Se isso acontecer, as votações vão ocorrer uma a uma. As iniciativas que mais geram reações contrárias da oposição são as duas que trazem propostas de alienações de bens imóveis, um prédio na Calçada e o do antigo Derba.




Alguns deputados da oposição consideram até positivas as alienações, mas discordam que ocorra neste momento, faltando oito meses para o fim do governo Rui Costa. Tiago Correia (PSDB) ocupou a tribuna na última sessão justamente para falar sobre este assunto, afirmando que foi relator e votou favoravelmente a propostas de desafetações. “Mantenho minha coerência ao votar contra porque considero o momento inoportuno”, disse.



Compartilhar: