Quinta-feira , 30 de Junho de 2022

MÍDIA CENTER

Olívia sugere a criação da Ronda Maria da Penha no âmbito da Guarda Municipal de Salvador

Publicado em: 26/05/2022 07:24
Editoria: Notícia

Deputada Olívia Santana (PCdoB)
Foto: Arquivo/ASCOM

“A Ronda Maria da Penha tem sido um remédio poderoso e vem conseguindo salvar muitas vidas, mitigando o sofrimento de muitas mulheres”. A declaração é da deputada Olívia Santana (PCdoB) que encaminhou, através da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, uma indicação ao prefeito de Salvador, Bruno Reis, sugerindo a criação da Patrulha Maria da Penha, no âmbito da Guarda Municipal, com o objetivo de monitorar e acompanhar as mulheres vítimas de violência doméstica e familiar.

Para a comunista, a Ronda Maria da Penha é um exemplo de efetividade de política pública na área de proteção dos direitos fundamentais para as mulheres em todo o Brasil, com reconhecidos esforços e resultados alcançados. De acordo com a parlamentar, a RPM impacta em vários setores da sociedade baiana, incluindo mídia, órgãos públicos, famílias, empresas e entidades não governamentais.

Atualmente, a RMP conta com sua sede própria no Distrito Integrado de Segurança Pública (Disep), no subúrbio de Periperi, sendo que na Bahia existem mais 13 unidades, localizadas nos municípios de Juazeiro, Paulo Afonso, Feira de Santana, Vitória da Conquista, Jacobina, Itabuna, Senhor do Bonfim, Lauro de Freitas, Campo Formoso, Sobradinho, Itaparica, Guanambi e Barreiras.

A presidente da Comissão dos Direitos da Mulher da ALBA avalia que este contingente não é suficiente, tendo em vista a escalada de violência contra a mulher no país. Os números do Atlas da Violência, publicado pelo Ipea em 31 de agosto de 2021, revelam que 50.056 mulheres foram assassinadas entre 2009 e 2019. As estatísticas apontam ainda que a cada 17 minutos uma mulher é agredida fisicamente, a cada dia 8 casos de violência sexual são relatados e em uma semana 33 mulheres são assassinadas por parceiros antigos ou atuais. 

A Bahia encontra-se na quinta posição em relação aos registros de ocorrências, informa a legisladora, lembrando que apesar de várias medidas empreendidas, a curva da violência contra as mulheres continua a trajetória ascendente. “A criação da Patrulha Maria da Penha, no contexto das Guardas Municipais, se constitui em importante reforço no monitoramento e acompanhamento das mulheres vítimas de violência doméstica, incrementando o esforço das Rondas onde existem, e proporcionando maior cobertura territorial no atendimento às vítimas”, finalizou a deputada Olívia Santana..



Compartilhar: